Mata Mourisquense 1 – 1 Ranha

26 10 2009

Campo dos Arneiros, na Mata Mourisca

Árbitro: António Nobre (AF.Leiria)

U.MATAMOURISQUENSE: Zé; Mica, Alcides, Beto e Duarte; Mauro (Rato, 75′), Gabriel e Tiago Dias (Márcio, 80′); Diogo Neves, Valter e Aníbal (Elísio, 65′)
Treinador: Gameiro

RANHA: Arlindo; Micoud, Cordeiro, Eurico, Jordão; Joel (David, 20′), Gonçalo Ramos e Tito; Tiago Leal, Pepe (Paulo, 75′), Bruno Pinto(João Paulo, 85′)
Treinador: Sílvio Brincano

Marcadores: David (70′) e Mica (83′)

A U.Matamourisquense e Ranha repartiram pontos, num jogo em que a turma da casa esteve melhor, mas não logrou a obtenção da vitória. A Ranha esteve bastante  bem defensivamente e apostou no contra-ataque, diante de um adversário, a atravessar uma boa fase no campeonato. A U.Matamourisquense foi superior nos primeiros quarenta e cinco minutos, face a um Ranha, que apenas numa situação esteve perto do golo. Diogo Neves (na foto) e Valter estiveram perto do golo, mas falharam na pontaria. Do lado da Ranha, foi Tiago Leal a criar perigo. Ao intervalo, a formação da casa merecia estar em vantagem, dado que, foi melhor ao longo do primeiro tempo.
No segundo tempo, a formação de Sílvio Brincano conseguiu equilibrar mais o encontro e a Ranha deu o primeio sinal de aviso, quando Tiago Leal cabeceou ao lado. Aos setenta minutos, cruzamento de Tiago Leal e David inaugura o marcador. A U.Matamourisquense não demonstrava o brilhantismo exibido no primeiro tempo, mas com as mudanças tácticas operadas, sobretudo  com a passagem de Alcides para extremo-esquerdo, a formação de Henrique Rato, ainda a cumprir castigo disciplinar, voltou ao nível exibido no primeiro tempo. A sete minutos do final, Mica chegou à igualdade, num lance com alguma felicidade, visto que, a bola ainda bateu no corpo de Jordão e desta forma traiu Arlindo. Até final só deu Matamourisquense e Micas antes de ser expulso teve nos pés o segundo golo, mas diante Arlindo não conseguiu finalizar a preceito. Já ao cair do pano é Valter e Elísio, que não conseguem selar a vitória para os da casa. No cômputo geral, o empate castiga a falta de eficácia dos da casa e a boa organização defensiva dos visitantes. Destaque na Mata Mourisca, para a boa exibição de Valter e na Ranha, David foi o mais inconformado.
António Nobre rubricou uma fraca arbitragem. Perdoou a expulsão a Tito e Mica que acabou por ser expulso na parte final do encontro, deveria ter sido expulso mais cedo, dado que, o árbitro equivocou-se e admoestou outro jogador.

Retirado de http://www.oderbie.com





Casal Novo 0 – 2 Mata Mourisquense

18 10 2009

1º Golo: Bola em profundidade para Valter que só com o guarda-redes pela frente consegue marcar o golo.

2º Golo: Aos 90 minutos, toda a equipa do Casal Novo sobe para a marcação de um canto. Zé recebe a bola, passa para Neves, que precorre o todo o campo, junto à linha do lado direito. Cruza para a entrada da área. Cigano percebendo que Alcides estava em melhor posição deixa passar a bola por entre as pernas. Alcides remata, batendo num defesa do Casal Novo. A bola ressalta para Alcides que remata novamente para o golo.






Mata Mourisca cilindra Milagres (14-1)

6 10 2009

Resultado Final: 14-1

Árbitro: Quintino António F. Bento Ribeiro
Local: Campo das Arneiros, Mata Mourisca

Constituição da equipa da Mata Mourisca:
Dias, Valter, Beto, Vasco, Diogo Neves (Márcio aos 56m), David, Mica (Rato aos 67m), Pedro Simões, Ricardo (Anibal aos 56m), Tiago Dias (A), Duarte.
Suplentes não utilizados:
Zé, Cigano, Mauro, Tiago

Constituição da equipa dos Milagres:
Márcio Costa (A), Tiago Santos (A), Tiago Silva (Sérgio Duro aos 75m), David Sousa (A), Ricardo Figueiredo (Gonçalo Carreira aos 45m), Francisco Hipólito, Pedro Santos, Hélio Esperança (A), Gonçalo Passadouro (João Rodrigues aos 34m (V)), Telmo Viana, Élio Cerejo (V).
Suplentes não utilizados:
Joel Norte, Pedro Silva, Nuno Crespo, Marco Pedro

Comentário ao jogo:

Em jogo a contar para a pré-eliminatória da taça distrital de Leiria, a equipa da União Mata Mourisquense recebia em casa GR Milagres. Apesar das duas equipas se encontrarem na mesma divisão (1ª distrital) embora em séries distintas, previa-se que conjunto da Mata Mourisca iria com mais ou menos dificuldade levar de vencida o conjunto dos Milagres. E, como poderemos ver isso aconteceu, e nem os milagres os salvaram de uma derrota pesadíssima

Nos primeiros 10 minutos do jogo, apesar de um domínio completo da equipa da Mata Mourisca, as oportunidades conseguidas não se materializaram em golos. Numa das primeiras jogadas de real perigo, aos 10 minutos, Vasco inventa uma jogada do lado direito, cruza e Diogo Neves, de cabeça, abre o marcador para a equipa da casa. De notar que o guarda redes, neste lance, não fica isento de culpas. Sem tirar o pé do acelerador, a equipa da Mata Mourisca continuou a pressionar no último terço do campo. O segundo golo surgiu aos 24 minutos, após recuperação próxima da área do Grupo Recreativo dos Milagres, bola para Valter, que remata, com apenas o guarda redes contrário pela frente, conseguindo assim facturar o primeiro dos seus 4 golos. Pouco tempo depois, aos 36 minutos, vasco recebe a bola em zona de finalização e faz um chapéu ao guarda redes contrário. Diogo Neves, aos 42 minutos, recebe a bola em zona de finalização, finta o guarda redes e consegue concretizar para mais um golo. Destaque ainda para Micas que, volvidos aos 2 minutos, consegue levar a bola até junto da linha final, cruza para um remate de primeira por Pedro Simões, fazendo assim um belíssimo golo.

O final da primeira parte a ganhar 5-0 fazia prever que a Mata Mourisca fosse tirar o pé do acelerador, o que não se veio a verificar, pois acabou por marcar 9 golos na segunda parte. O sexto golo foi obtido por intermédio de Valter à passagem dos 50 minutos. Este recebe a bola dentro da área e, à semelhança do seu primeiro golo, remata cruzado embora neste caso já não tenha havido marcação por parte dos jogadores dos Milagres. O 7º golo foi obtido por Diogo Neves aos 53 minutos. Numa das melhores jogadas do encontro, com Diogo Neves a trocar a bola de primeira com Ricardo Alcides desde o meio campo. Alcides chega à linha de fundo, cruza e Diogo Neves apenas tem de encostar para o seu 3º golo. Com Márcio já em campo, aos 59 minutos, numa das suas primeiras oportunidades, consegue ele também facturar. Márcio recebe a bola, isola-se e faz mais um chapéu ao guarda-redes. O único golo dos Milagres foi obtido aos 62 minutos por intermédio de Gonçalo Carreira. Este golo apenas foi obtido por pura desatenção do guarda redes Mourisquense, pois este recebeu a bola da defesa e demorou alguns preciosos segundos até chutar a bola. Com o defesa já em cima, a bola embate no avançado contrário e redirecciona-se para a baliza. Mesmo assim, acreditamos que ele poderia ter evitado o golo, pois esta encaminhou-se muito lentamente para a baliza. Aos 65 minutos, em canto do lado direito da forma como atacou o conjunto de Henrique Rato, após vários remates de insistência, Vasco põe um ponto final na jogada e remata para o seu segundo golo. Após o 9º golo, aos 70 minutos, destaque para a expulsão do primeiro jogador do conjunto dos Milagres, Élio Cerejo, por acumulação de amarelos. O 10º golo foi obtido por Valter que consegue-se isolar após passe nas costas da defesa. Valter apenas tem de contornar o guarda redes e concretizar mais um golo. O 11º golo foi obtido por Anibal aos 84 minutos. Este recebe a bola em posição descaída para o lado esquerdo da forma como atacou a Mata Mourisca e remata para mais um golo, celebrando efusivamente o seu tento. O 12º golo foi obtido por Márcio, surgindo aos 85 minutos. Márcio recebe a bola do lado esquerdo e remata cruzado à entrada da área para mais um excelente golo desta tarde. Destaque neste lance, em tons de brincadeira, para o desalento (e mesmo apupos) de ex-jogadores da Mata Mourisca, os quais detinham a maior goleada até este momento, pois este record acabava de ser quebrado. O 13º golo foi obtido novamente por Valter, aos 87 minutos, prefazendo um poker de golo. Valter recebe a bola à entrada da área, e ainda fora da área remata forte, fazendo assim mais um tento para a sua conta pessoal. Antes do último golo, aos 90 minutos, João Rodrigues da equipa do GR Milagres é expulso por acumulação de amarelos. Finalmente, o último golo foi obtido pelo defesa central Duarte, aos 92 minutos, que subiu à área contrária para concretizar o golo após cruzamento do lado direito do ataque Mourisquense.

Durante todo o jogo, apenas existiu uma equipa a jogar futebol. Jogadas de belo efeito, trocando a bola entre todos os jogadores da Mata Mourisca, pressão alta, para rapidamente recuperar a bola, passes nas costas da defesa, jogadas rápidas nas linhas, o conjunto da Mata Mourisca conseguiu sem dúvida um excelente jogo, um jogo que irá ficar para a história do clube, não só pelo futebol praticado, mas também pelo número de golos obtidos (até agora a maior goleada da equipa sénior tinha sido 11-1). o destaque vai ainda para Diogo Neves e Valter, que fizeram hattrick e poker, respectivamente.
O conjunto dos Milagres, simplesmente não existiu, apenas defendeu como pode esta avalanche mourisquense. Neste momento o GR Milagres tem 31 golos sofridos em 3 jogos (8-0, 9-0 e 14-1) e estando fora da taça, arrisca-se seriamente a não conseguir qualquer ponto no campeonato e a ser uma das equipas mais batidas do campeonato e diria mesmo de todo o país.
O conjunto de arbitragem não se notou ao longo do jogo, fazendo um trabalho razoável, embora existissem algumas queixas por parte da equipa dos Milagres e diga-se sem fundamento algum, pois as duas expulsões são justíssimas.
Nota positiva ainda para os adeptos que, apesar de ser um jogo de taça, compareceram em força.





Sondagem sobre equipa sénior

4 10 2009





Mata Mourisca VS Simonenses

24 09 2009

Na primeira jornada da época 2010/2011 o sorteio ditou que a equipa do Mata Mourisquense recebesse o conjunto dos Simonenses. A expectativas eram elevadas relativamente ao conjunto orientado por Henrique Rato, pois demonstrou experiência, fazendo boas exibições contra equipas de escalão superior.

Desde o primeiro minuto que o conjunto da Mata Mourisca pretendeu ter a bola em seu poder e para isso fazia por isso um pressing alto. Após recuperar a bola esta era circulada entre os jogadores da equipa e os Simonenses, como se diz na gíria futebolística, “andava a cheirá-la” apenas. Logo nos minutos iniciais, Diogo Neves recebe a bola na zona lateral e já dentro da área cruza para a marca de grande penalidade. Com alguma sorte consegue introduzi-la dentro da baliza, pois esta foi desviada por um defesa contrário, traíndo assim o guarda-redes. A primeira etapa estava cumprida, pois o conjunto mourisquense conseguia marcar nos minutos iniciais. Sem tirar o pé do acelerador, o grupo da Mata Mourisca foi trocando a bola a seu belo prazer e, sem dificuldades marcou o segundo golo por Duarte, através de um canto marcado do lado direito do ataque. Ainda na primeira parte o conjunto mourisquense chega ao terceiro golo através de Diogo Neves. A partir da meia hora de jogo e, como facilmente se entende, a Mata Mourisca foi gerindo o esforço, foi tirando o pé do acelerador. Foi por isso que, apesar de continuar a controlar o jogo, o conjunto de São Simão foi-se aproximando com mais frequência da área adversária, no entanto sem conseguirem um jogo fluído pois chegavam à baliza contrária sempre através de contra-ataques. Num alívio de bola por parte da equipa dos Simonenses, a defesa da Mata Mourisca efectua um corte deficiente, permitindo que o avançado se isole e consiga marcar um golo sem hipóteses para o guarda-redes.

No recomeço da segunda parte, o jogo continuou igual, ou seja, a equipa da Mata Mourisca a gerir o resultado, fazendo algumas oportunidades de golo e, do outro lado, a equipa dos Simonenses, em contra-ataque, lá ia tentando a sua sorte. Até que faltando 15 minutos para acabar o jogo parece que a equipa da Mata Mourisca quis por um ponto final no jogo e voltou a acelerar. No espaço de 15 minutos para além dos golos marcados ainda criaram outras tantas oportunidades e só por sorte o resultado não mais pesado para a equipa dos Simonenses. Faltando cerca de 10 minutos para acabar o jogo, cruzamento do lado direito do ataque, alemão já dentro da área remata forte para um novo golo. Volvidos 2 minutos, após um canto, uma sucessão de remates à baliza em que a bola embate nos jogadores dos Simonenses, até que a bola sobra para Vasco, que se encarrega marcar o quinto golo. Já no final do encontro, ainda oportunidade para a equipa da Mata Mourisca marcar o sexto golo.

Vitória justíssima para a equipa orientada por Henrique Rato que só peca por escassa, pois a equipa dominou o jogo por inteiro, só não marcando mais porque não manteram o mesmo ritmo durante todo o jogo. Apesar de ser o primeiro jogo, os jogadores da equipa da Mata Mourisca demonstraram já estar bastante entrosados, fazendo jogadas simples e eficazes. Realce ainda para Diogo Neves que conseguiu o primeiro hattrick da época e logo no primeiro jogo. Em relação aos Simonenses, continuam como nos anos anteriores, ou seja, uma equipa com poucos argumentos para fazerem um campeonato regular.

A equipa de arbitragem tem nota positiva, havendo um ou outro fora de jogo mal assinalado do lado do ataque da equipa da Mata Mourisca.








Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.